Luta Classista

setembro 19, 2007

Combater o oportunismo. Construir a Greve Geral!

Filed under: Sem categoria — lutaclassista @ 4:27 pm

Reunião ampliada da Coordenação Geral da Liga Operária

 

Para lutar contra as “reformas” antioperárias trabalhista, sindical, previdenciária e universitária, a Liga Operária propõe um Plano de 4 pontos para a unidade de ação:

1) Realização de ampla campanha de denúncia e esclarecimento sobre o conteúdo lesivo aos trabalhadores destas “reformas”, bem como de toda a política imperialista no País, na América Latina e no mundo.

2) Definição da Greve Geral como instrumento mais eficiente capaz de unir todos trabalhadores e barrar as “reformas”; e adotar um plano para sua construção através de iniciativas que ligue o seu apelo e propaganda às ações específicas locais e regionais, tais como campanhas salariais, atos e manifestações de

protestos, cortes de rodovias e ocupação de órgãos públicos.

3) Integrar a todas as atividades a propaganda e divulgação da luta pela terra e apoiar materialmente o movimento de luta no campo.

4) Atitude de nenhuma negociação e nenhum compromisso com o governo. Combativa assembléia e greve dos operários da construção.

_____________________________

Combativa assembléia e greve dos operários da construção.

pag-3-c.jpg

 

Na Plenária Nacional realizada no dia 25 de março passado, em São Paulo, a Liga Operária fez a proposição acima. No entanto, a plenária revelou-se num simples jogo com que a Conlutas e a Intersindical usaram para fazer cena e atrair organizações e movimentos que vacilam em apoiar e criticar o governo. A Plenária não foi fórum de nenhum debate sério voltado a definir um plano de lutas e objetivo de unificar as lutas numa greve geral. Foi bem mais um desfile de enfadonhas saudações e ocos apelos por uma “unidade da esquerda”. E para que? Para, como afirmou o senhor Valério Arcary do PSTU, ser a garantia que a “esquerda terá um forte candidato nas próximas eleições”. Nada mais, o resto, o de sempre, barulho para desgastar eleitoralmente os ocupantes do Planalto.

 


Resultado: o pomposo plano de mobilização e luta saído do colete de Conlutas/Intersindical, que fiava na unidade com os mega-oportunistas da Corrente Sindical Classista do PCdoB e da direção nacional do MST, transformou-se num ridículo e esdrúxulo reboquismo da CUT. Já nas celebrações do 1º de Maio, com exceção de São Paulo, porque aí já era demais, foram se enrabichar com a canalha cutista e o rebotalho oportunista das ONGs e seus eternos choramingos. As bravatas de greve geral da CUT/Força Sindical contra a “emenda 3” foram o bastante para Conlutas/Intersindical atar seu vagão no trem do peleguismo. Nas ações do dia nacional de luta (23 de maio) Conlutas e seus afins foram engolidos pelas encenações demagógicas e farsantes destas centrais do peleguismo e do governismo. Agora então, que Lula pagou bem pago às Centrais pelos serviços prestados (50 milhões do imposto sindical), como o de venderem os trabalhadores do comércio para a patronal que terão de amargar a derrota do trabalho aos domingos, Conlutas e outras devem estar doidinhas para obter reconhecimento oficial e participarem da bolada arrancada do couro da classe trabalhadora. No dia 7 de setembro, secundando as comemorações da falsa independência do Brasil, no chamado “Grito dos Excluídos”, todos oportunistas marcharam juntos na diversionista campanha,encabeçada pela CUT e Igreja, pela reestatização da Companhia Vale do Rio Doce (por que não de todas as empresas privatizadas?); procurando de todas as formas esconderem os ataques do governo FMI-Lula aos direitos trabalhistas e a organização sindical.

A reunião Ampliada da Coordenação Geral da Liga Operária, dos dias 8 e 9 de setembro corrente, ao fazer o balanço da luta de resistência contra a ofensiva neoliberal da gerência FMI/Lula, concluiu que os trabalhadores não podem contar com quem, apesar de muito falatório, submete o processo de luta aos projetos eleitoreiros. Seguindo com a proposição do Plano de 4 Pontos, decidiu empenhar todos os esforços para levar diretamente às massas a propaganda pela construção da greve geral.

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: